Mais tecnologia para a educação pública

    Mais tecnologia para a educação pública

    Nesse momento de quarentena, com as escolas fechadas e com aulas de forma virtual, vemos a notória desigualdade social que existe no nosso país. Sem internet, sem merenda, sem lugar para estudar, são diversos os fatores que compõem esse triste cenário na educação brasileira.

    Garantir o acesso e a inclusão de todos os estudantes no meio digital é fundamental para a evolução do nosso país como um todo. A relação do bom uso da tecnologia em favor do aprendizado dos nossos jovens, portanto, só tem a trazer benefícios para a nossa sociedade e para o futuro deles.

    Por essa razão, apresentei o projeto de lei 2182/2020 na Câmara dos Deputados, que visa a compra de equipamentos, computadores e infraestrutura de redes digitais para instituições de ensino da rede pública. Os recursos utilizados seriam do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust).

    Atualmente, pelo menos 18% das verbas do Fust já são destinados para investimentos em educação pública. Mas é preciso avançar e ajudar na modernização de instituições públicas de educação.

    A tecnologia tem que fazer parte do processo de aprendizado de forma adequada. Por isso, investir na educação é investir em todas as áreas da sociedade. Investir na educação é pensar num país melhor, com equidade e oportunidades.

    Pela garantia do acesso à educação escolar para todos

    Não importa o tamanho da cidade, cada uma tem suas necessidades. E cabe a nós olharmos para cada município com equidade. Por exemplo, em setembro do ano passado, São Sebastião do Alto recebeu mais de mil tablets para compor o ensino escolar das nossas crianças do município.

    Foi uma emenda que trabalhamos bastante para ser possível atender ao anseio da secretaria municipal de educação, da prefeitura, dos professores e também dos alunos. A tecnologia conectada com a pedagogia só tem a render bons frutos para nossos jovens.