Aureo e parlamentares brasileiros na ONU

A segurança pública, um dos temais mais falados nas eleições deste ano, foi pauta da Sessão Plenária das Organizações das Nações Unidas (ONU). Em Missão Oficial junto com outros parlamentares, o deputado federal Aureo (Solidariedade – RJ) defendeu mais ações de combate e controle, com troca de inteligência entre as polícias.

Aureo e e Mauro Vieira, embaixador do Brasil junto às Nações Unidas

O grupo debateu a votação da Resolução da ONU de 2016, que amplia a cooperação entre a Organização Internacional da Polícia Criminal (Interpol) e países membros das Nações Unidas, como o Brasil, para dar mais eficiência ao combate ao crime organizado.

“Temos que usar os mecanismos de inteligência e troca de informações entre os países. É uma questão prioritária e que não dá para mais ser adiada. Entendo que com a união e cooperação das nações, podemos vencer a violência”, reforçou Aureo.

COMBATE AO TRÁFICO DE DROGAS

As discussões sobre temas internacionais acontecem também no Conselho do Parlamento do Mercosul (Parlasul), órgão legislativo com representação no Brasil, Argentina, Paraguai, Venezuela e Uruguai. Aureo, que faz parte do grupo, apresentou um ato legislativo para que sejam tomadas providências junto aos órgãos competentes dos países integrantes do Mercosul para dar maior eficiência ao combate ao crime organizado, uma vez que informações e dados serão trocados entre os entes envolvidos.

“O combate as drogas é uma preocupação. Temos relatos e recordes de apreensões de armas e drogas que entram pelas nossas fronteiras. A inteligência entre os países precisa ser feita de forma mais eficaz”.

Aureo e parlamentares brasileiros em reunião na sede da ONU

Aureo e parlamentares brasileiros em reunião na sede da ONU

EM DEFESA DAS CRIANÇAS

Outra Recomendação de Aureo é para que sejam criadas diretrizes para uma política do Mercosul contra o desaparecimento de crianças e adolescentes. A ideia do deputado é aliar a tecnologia dos países, com troca de informações e cadastro único com o objetivo de reprimir o tráfico internacional. Para o deputado, quanto mais transparência e cooperação, maior será a possibilidade de vencer o crime organizado.

“Tenho uma preocupação muito grande com o tráfico internacional. Sabemos do desafio, sobretudo por conta da extensão territorial do país, mas precisamos unir esforços em torno do mesmo objetivo e cada órgão desempenha um papel fundamental.