You are currently viewing Cinco obstáculos para quem quer empreender no Brasil

Cinco obstáculos para quem quer empreender no Brasil

Se empreender já é uma tarefa difícil, que exige conhecimento, dedicação, entre tantas outras coisas, imagina no meio de uma pandemia? A crise, mesmo que gere oportunidade e alternativas, também limita a geração de lucros. Afinal, o poder de compra do brasileiro fica menor a cada ano.

Para você ter ideia, o real perdeu 84% do seu poder de compra nos últimos 26 anos, desde o início do Plano Real. Segundo levantamento feito portal InvestNews, uma cédula de R$ 100 compra hoje o equivalente a 16% do que comprava no dia do seu lançamento. Ou seja, com uma nota de R$ 100, você adquire hoje um bem ou serviço que adquiria por R$ 16 em julho de 1994.

Além do momento econômico do país, existem outros pontos que dificultam a vida de quem quer trabalhar com o próprio negócio. Por isso, selecionei abaixo cinco principais desafios para o empreendedor no nosso país.

1) Alta carga tributária

Este, com certeza, é quase unanimidade entre os empreendedores. Quantos negócios não foram para frente por conta dos impostos, não é verdade? Afinal, o regime tributário no Brasil é pesado.

O empreendedorismo precisa andar com o planejamento debaixo dos braços para driblar os obstáculos e fugir do fracasso. E aqui vemos a importância do papel do contador para saber o que será necessário arcar após a criação do CNPJ.

Realizar uma pesquisa especializada sobre a isenção de certos impostos, como no caso do Microempreendedor Individual, também pode ser bastante útil para ter um conforto financeiro.

Ou seja, acompanhar a parte fiscal do seu empreendimento é fundamental para evitar surpresas indevidas, até porque as situações mudam constantemente e o que foi favorável no início da sua empresa pode não ser mais vantajoso em outros momentos.

2) Falta de estímulo de crédito

Conhece algum empreendedor que tentou conseguir linhas de crédito nesse momento de pandemia? Como foi a experiência dele? Não é todo mundo que consegue, não é mesmo?

Aliás, conseguir incentivo financeiro com taxas de juros muito baixas não é uma situação comum para o empreendedor no Brasil. Por isso é tão importante planejar bem a vida financeira do empreendimento e ter controle dos gastos de forma regular.

Muitas pessoas nem começam a empreender, nem tiram a ideia do papel, por falta de capital inicial. E, neste caso, a linha de crédito seria fundamental para essas pessoas darem o pontapé inicial com o próprio negócio.

Você que já quis trabalhar com o próprio negócio, ou você que já seja empreendedor ou empreendedora, sabe o que é a Empresa Simples de Crédito (ESC)? Você precisa saber o que é! Clique aqui e veja mais!

3) Concorrência alta

Uma situação comum durante essa crise na pandemia foi ver pessoas começando a vender produtos feitos em casa. Como, por exemplo, doces. Agora imagina quantas pessoas tiveram a mesma ideia em começar a vender no mesmo ramo que o seu?

Apesar da pandemia, e por esse impulsionamento de empreendedores ser por necessidade, os brasileiros têm cada vez mais buscado na atividade empreendedora uma alternativa de renda.

Dessa forma, o mercado fica cada vez mais competitivo para os empreendedores, o que torna a entrada no mercado muito mais complicada. Afinal, muitas vezes o nicho que você deseja empreender já, possivelmente, existem grandes empresas na mesma área. Ou seja, grandes empresas já conhecidas por seus nomes, produtos, preços, etc.

Então, qual vai ser o seu diferencial?

4) Grande possibilidade de fechamento de empresas

O empreendedorismo por necessidade tem um grande risco: a falta de planejamento. Às vezes, a resposta de lucro imediato pode falar mais alto do que a vontade de ter constância com seu empreendimento.

Quanto menor o planejamento, maior a probabilidade da empresa fechar, e isto é maior entre os empreendedores que estavam desempregados antes de iniciarem seus negócios. E aí fatores como: não conseguir se diferenciar, não conseguir os fornecedores ideais, não cobrar os preços justos, não medir seu capital de giro corretamente, entre outros, são determinantes.

No Brasil, dados do IBGE mostram que mais da metade das empresas que foram abertas no país são fechadas antes de completarem cinco anos de vida. Todo investimento e dedicação jogados fora.

5) Burocracia para empresas

Processos, documentação para dar entrada no CNPJ, alvará, registro no cartório, CNAE, comprovante de inscrição e de situação cadastral… Haja burocracia. E isto é outro grande desafio para o empreendedor no Brasil, visto toda morosidade para conseguir legalizar uma nova empresa.

Começar seu próprio negócio e abrir uma empresa se torna mais difícil com a burocracia existente no país, o que, muitas vezes, impede o sonho de uma pessoa de tirar a ideia do papel. Não é à toa que o Brasil é um dos países mais burocráticos quando se fala de abertura de empresas.

Inclusive, fui relator da Comissão Especial Mista que analisou a Medida Provisória 876, cujo objetivo era simplificar a abertura e o fechamento de empresas no país. Clique aqui e veja mais!

Sem contar as diferentes regras na contratação de mão de obra, com os pontos a serem cumpridos pela CLT.

Portanto, o empreendedorismo, independente do setor, precisa aproveitar as oportunidades. Conhecimento nunca é demais, até porque evitar todos esses obstáculos é praticamente inevitável. Por isso, é fundamental superá-los da melhor forma possível para não afetar tanto seu negócio e o desenvolvimento econômico.

Quero saber de você: o que falta para você empreender? Clique aqui e participe!